Loading...
/Como podemos ajudar?
Como podemos ajudar? 2017-09-13T15:11:10+00:00

A halitose pode ser tratada com êxito.

A descoberta das causas mais frequentes que provocam a halitose, o desenvolvimento das mais modernas tecnologias de diagnóstico e o aperfeiçoamento de tratamentos de elevada eficácia permitem, hoje em dia, o tratamento médico da quase totalidade dos casos.

É importante divulgar as taxas de êxito mais atuais resultantes da investigação médica de uma patologia que a maioria das pessoas continua a crer que não tem solução e que esteve demasiado tempo ausente do panorama científico.

Em caso de padecer halitose, procure um profissional de saúde especializado.

As halitoses devem ser abordadas, acima de tudo, como um problema médico. Atualmente, existem diversas fontes de informação sobre as possíveis causas, diagnóstico e tratamento, sobretudo na Internet. Esta informação deve ser analisada com precaução, sem descartar a consulta com um profissional de saúde especializado no diagnóstico e tratamento da halitose.

A halitose deve ser encarada como um problema médico cuja existência pode ser a manifestação de uma doença subjacente, não sendo, por tanto, simplesmente um problema estético ou cosmético.

As fases do tratamento.

Antes de realizar-se um tratamento é fundamental obter um diagnóstico etiológico (que determine a origem ou a causa). Neste sentido, durante a primeira consulta de diagnóstico recolhem-se todos os dados do paciente, o estado atual e os antecedentes médicos relacionados com os fatores que predispõem e desencadeiam a halitose.

Realizam-se também uma série de exames com o propósito de identificar a origem: o estudo computorizado do hálito através da…

…cromatografia gasosa; o estudo da saliva e a função das glândulas salivares, assim como diversos testes microbiológicos e enzimáticos a partir de amostras de placa bacteriana e saliva.

Não existe um único tratamento para combater a halitose. O tratamento adequado será o mais atual e de maior eficácia de acordo com a condição ou causa desencadeante do problema.

A fase de controlo ou final inicia-se depois da remissão da halitose e inclui, geralmente, uma ou duas consultas de revisão. Esta fase é necessária para instruir o paciente sobre as medidas preventivas e executar os procedimentos que assegurem a remissão obtida. A transformação do hálito é manifesta pela atitude do paciente na consulta, especialmente pelo nível de confiança que demonstra em relação ao próprio hálito.

O êxito do protocolo HCP Arthyaga®

Os fenómenos associados com a existência de halitose podem ocorrer em diversas partes do organismo: boca, nariz, garganta, pulmões, estômago, intestino, fígado, rins, etc. Por este motivo, o Instituto do Hálito trabalha com diferentes profissionais de saúde: médicos dentistas, médicos especialistas em estomatologia, otorrinolaringologia, gastrenterologia, medicina interna, nefrologia, análises clínicas, imunoalergologia, além de psicólogos e nutricionistas.

Um dos resultados mais destacados desta colaboração multidisciplinar é a aplicação do protocolo HCP Arthyaga® de diagnóstico e tratamento da halitose para uso clínico, que obteve o reconhecimento internacional por ter alcançado uma taxa de êxito global de 97%.

De facto, a taxa de êxito do HCP Arthyaga® foi a mais alta obtida até à data neste campo, de acordo com as principais bases de dados médicas internacionais (PubMed/Medline, Scopus, ISI-Web of Knowledge, etc.). Numa amostra de 704 pacientes que procuravam tratamento específico para a halitose, 96,6% obteve a resolução completa da halitose, 0,6% obteve uma remissão biológica (apesar da halitose ter sido eliminada, estes pacientes não se sentiam psicologicamente curados), 1,0% obteve uma melhoria parcial (não se alcançou uma remissão completa apesar desta ter diminuído) e apenas 1,8% manifestou um resultado nulo (não se registou qualquer melhoria). As perturbações obsessivas relacionadas com a crença equivocada de padecer halitose (halitofobia) são as mais difíceis de tratar devido à dificuldade que estes pacientes têm para reconhecer a sua condição e submeter-se a um tratamento psicológico, ou mesmo psiquiátrico.

Como funciona uma consulta do hálito?

Este video mostra como funciona uma consulta do hálito dirigida pelo Prof. Doutor Jonas Nunes —diretor do Instituto do Hálito (Instituto del Aliento em Espanha)— e quais são as fases do nosso tratamento.

1º CONSULTA: colheita de amostras e dados médicos (“Estudo do Hálito“)

2º CONSULTA: início do tratamento. Informamos sobre a origem ou causa que provoca a sua halitose e indicamos o tratamento necessário para a solucionar.

3º CONSULTA: primeiro controlo para confirmar o êxito do tratamento e estabelecer, caso seja necessário, eventuais ajustes do mesmo.

4º CONSULTA: segundo controlo para confirmar a eliminação permanente da halitose, dar alta e entregar as pautas finais de manutenção.