Perguntas Frequentes

Perguntas Frequentes respondidas pelo Dr. Jonas Nunes

Que remédios caseiros / naturais ou soluções naturais existem atualmente para a halitose?

Ainda que prescreva soluções naturais em casos particulares (ex.: a ameixa japonesa umeboshi – um estimulante salivar com provas dadas), pessoalmente, tenho sempre algumas reservas em falar deste tema. É frequente que, muitas pessoas, depois de ouvir-me, comecem de imediato a comprar certos produtos, bebidas e comidas, crendo ingenuamente que isso lhes irá solucionar o problema de hálito.

Volto a referir que as halitoses devem ser identificadas segundo a sua origem e que a eficácia do tratamento depende da correspondência do agente terapêutico utilizado com a origem. Como referi anteriormente, os efeitos benéficos de alguns alimentos com odor agradável (salsa, etc.), ou certas cápsulas que algumas empresas colocam à disposição do público, nem sempre têm efeito em todas as personas e, quando têm, raramente duram mais de 1 hora. Isto não é cura, nem tratamento.

É verdade que algumas comidas podem melhorar transitoriamente o estado do hálito de algumas pessoas. Isto sucede basicamente através de 2 mecanismos principais: devido ao potencial efeito antimicrobiano ou através da captura/neutralização dos compostos de mau odor.

Sobre o efeito antimicrobiano, já foi demostrado, por exemplo, que alguns chás possuem antimicrobianos naturais com alguma capacidade de anular bactérias orais (os mais estudados foram o chá verde e o ginseng vermelho da Coreia). Recordo um estudo israelita recente que também encontrou algumas sustâncias inibidoras de bactérias no café (porém, devido a outras sustâncias, o saldo global da ingestão de café geralmente é negativa em relação ao hálito: pela desidratação e alteração do sabor que este provoca, etc..

Existem outros alimentos que possuem certas sustâncias (especialmente polifenóis, e certas enzimas como as polifenoloxidases e as peroxidases) com alguma capacidade para neutralizar compostos de enxofre. Os alimentos que possuem estas sustâncias são alguns tipos de cogumelos, chá verde, algumas frutas (a maçã, a ameixa, o kiwi, o caqui, o mirtilo), algumas ervas como a salsa e o manjericão, e alguns vegetais como a alface, os espargos, o inhame e a beringela. Existem muitos outros alimentos mencionados em fontes não científicas, no entanto à grande maioria falta um adequado fundamento científico. Porém, a dura realidade, é que o efeito destes alimentos /remédios naturais é muito curto.

Por exemplo, o chá verde pode melhorar transitoriamente o problema de halitose em alguns casos em que a origem é intra-oral mas para muitas patologias causadoras de halitose simplesmente não existe um remédio caseiro ou terapêutica natural (sobretudo as extra-orais).

Há que ser prudente e não permitir que a ansiedade domine a razão. O seguinte princípio deve prevalecer: se uma pessoa não sabe qual é a causa, primeiramente deve obter o diagnóstico e só depois planear o tratamento ou agentes terapêuticos a utilizar, e não tratar irracionalmente às cegas fundamentando-se em testemunhos de terceiros (que poderão ter tido uma causa de halitose distinta) ou em promessas fantasiosas de produtos milagrosos. É preciso ter em conta que a maioria das pessoas que padecem de mau hálito já gastou muito tempo e dinheiro na procura de soluções e está cansada de tentativas frustradas ou terapêuticas não eficazes. A boa notícia é que felizmente a ciência já evoluiu e, nos dias de hoje, uma pessoa só anda perdida neste processo se assim o desejar.

Dr. Jonas NunesProf. Dr. Jonas Nunes
Doutor e investigador em Halitose