A Halitose

O que é, quais as causas e como se diagnostica

Todos os direitos reservados. É proibida a cópia ou transmissão dos conteúdos sem autorização prévia do Instituto do Hálito.

Origem no aparelho digestivo

Embora exista a crença generalizada de que a halitose com origem no estômago seja uma das principais causas, tem-se verificado que as halitoses relacionadas com o tubo digestivo são pouco frequentes.

No entanto, a infecção pela bactéria Helicobacter pylori pode provocar halitose pois algumas cepas têm a capacidade de produzir CSVs. Um estudo observou que, de 46 pacientes com sintomas de halitose, azia e hiperplasia lingual, 87% possuíam a bactéria. No entanto, esta bactéria tem uma elevada prevalência na população e nem sempre se manifesta através de sintomas. Também existe associação entre a presença de H. pylori oral com periodontite e halitose. Um estudo com 50 pacientes obteve associação entre halitose e presença de H. pylori estomacal, identificada através da biopsia da mucosa gástrica e prova do ar expirado 14C-ureia, em pacientes periodontalmente saudáveis.

Ainda que com menor frequência, considerando a elevada prevalência na população de algumas das condições seguintes, existem casos de halitose associada à gastrite, úlceras gastroduodenais, refluxo gastro-esofágico, divertículo de Zenker, doença inflamatória intestinal, presença de corpo estranho na faringe, hérnia do hiato, eructações, vómitos e neoplasias.

Ainda assim, um questionário a 1.551 pacientes associou significativamente auto-percepção de halitose com sintomas gastrointestinais. Geralmente, as perturbações do foro digestivo geram auto-percepção de halitose, isto é, causam um desconforto aos pacientes (ex: mau gosto, sensação de ardor) que os faz acreditar ter mau hálito. No entanto, na grande maioria das vezes, ninguém ao redor o sente (pseudohalitose).