A Halitose

O que é, quais as causas e como se diagnostica

Todos os direitos reservados. É proibida a cópia ou transmissão dos conteúdos sem autorização prévia do Instituto do Hálito.

Medição dos gases do hálito

Existem actualmente duas classes de aparelhos que permitem detectar e medir compostos presentes no ar expirado:

Monitores de CSVs

O aparelho mais popular desta classe é o portátil Halimeter® (Interscan, E.U.A.), que mede o total de compostos sulfurados volátiles, no entanto sem os identificar. Antes da medição, é necessário que os examinados deixem de falar pelo menos durante 5 minutos. O monitor é calibrado pelo ar ambiente e a medição é realizada mediante a inserção de um tubo na boca do paciente. O tubo é conectado ao monitor enquanto o paciente respira pelo nariz. As reacções electroquímicas com os compostos presentes no hálito geram uma corrente eléctrica que é directamente proporcional à sua concentração na amostra recolhida. O paciente deve de abster-se de usar elixires ou ingerir álcool duas horas antes da medição.
Apesar de existir uma correlação significativa entre os resultados obtidos com os monitores de sulfurados e as provas organolépticas, esta não é muito elevada. Em alguns casos, os pacientes podem ter valores de CSVs normais mas índices organolépticos elevados (ocorrência de falsos-negativos). Esta situação deve-se à existência de outros compostos voláteis, nomeadamente vários COVs, que podem estar presentes na halitose como certos ácidos gordos de cadeia leve, poliaminas, álcoois, compostos fenólicos, alcanos, cetonas e compostos nitrogenados. Todos estes compostos não são detectáveis por um monitor de sulfurados.
Além disso, o aparelho apresenta pouca sensibilidade para alguns compostos sulfurados como o dimetil-sulfuro. Assim, não é um meio de diagnóstico per se suficiente para avaliar a ocorrência de halitose.

Cromatografia gasosa

É o método mais fiável, pois separa os gases pelo peso molecular, permitindo a sua identificação e medição da concentração tanto em amostras do ar expirado com da saliva, saburra, etc. Estas amostras são analisadas e podem ser identificadas comparando os espectros de massa com aqueles guardados numa base de dados de referência de um computador. A cromatografia gasosa pode ser combinada com a espectrometria de massa, aumentando a amplitude deste método. É um método considerado altamente objectivo, reproduzível e fiável. No entanto, poucas clínicas têm este sistema implementado devido ao seu custo elevado, à necessidade de pessoas altamente qualificadas e treinadas para o seu manuseamento, e pela longa duração dos seus procedimentos. A International Association for Breath Research (IABR) tem feito um esforço na criação da base de dados, que já conta com mais de 3.000 compostos voláteis registados.