Loading...
/Sobre o Instituto do Hálito
Sobre o Instituto do Hálito 2017-10-23T08:53:48+00:00

Breve história.

O gérmen do Instituto do Hálito cresceu em Chicago no ano de 2007, no encontro científico da International Society for Breath Odor Research (ISBOR), como resultado do compromisso adquirido por um grupo de especialistas, de diversos países e áreas médicas, em compartir as suas investigações relacionadas com o hálito humano.

Dois meses depois, puseram-se em marcha as primeiras ações dirigidas à investigação e ao atendimento clínico de pacientes na Península Ibérica. Para poder responder à procura crescente em Portugal e em Espanha, no ano 2010 criou-se o Instituto do Hálito/Instituto del Aliento – Breath Research.

Pioneiros no tratamento médico da halitose.

Somos o primeiro centro ibérico com uma abordagem exclusivamente centrada no hálito humano. Cooperamos com profissionais de diversas áreas da medicina e da psicologia com quem compartimos um objetivo comum: o tratamento médico da halitose contemplando as mais de 80 causas que a podem provocar.

O nosso êxito baseia-se no constante aperfeiçoamento e aplicação de um protocolo médico, o protocolo HCP Arthyaga®, amplamente reconhecido a nível científico e, com maior importância para nós, asseverado pelo número crescente de pacientes satisfeitos.

Funcionamos através de uma ampla rede de consultas especializadas no diagnóstico e tratamento das alterações do hálito em Portugal, como também em Espanha, Reino Unido e Itália. Com os nossos centros associados partilhamos o compromisso pela qualidade, inovação e pelo exercício médico com vocação.

Temos como objetivo melhorar a qualidade de vida dos nossos pacientes, participar no progresso científico e promover a halitose como uma patologia socialmente reconhecida e compreendida.

Cinco linhas de actuação.

Como um centro unicamente enfocado na halitose, atualmente o Instituto desempenha as seguintes linhas de atuação:

  1. Desenvolvimiento de protocolos clínicos para uso médico
  2. Formação de profissionais de saúde
  3. Colaboração com diversos centros hospitalares e clínicos para o tratamento de pacientes
  4. Investigação e publicação científica
  5. Sensibilizaçao da população sobre um tema ainda tabu